Pesquisar neste blogue

botões de seguimento

botão - loja

Artesanato ... onde?



No ano passado não tinha corrido bem... por isso e porque sou teimosa por natureza, resolvi tentar de novo. Afinal não tinha estado nos dois dias, afinal tinha estado muito mau tempo e desta vez previa-se sol... Bom, mas isto das feiras tem mais que se lhe diga. Se chove, as pessoas não vêm, se faz sol e calor vão para a praia... Se é crise, não compram, se é meio do mês, muito menos. Mas de tudo isto, digo do mal o menos. É muito mais flagrante a crescente falta de originalidade, de ideias, de honestidade criativa. Isto não acontece obviamente só nesta ou noutras feiras de "artesanato". Estou cansada de encontrar por essa web fora cópias de trabalhos que conheço (ultimamente é demais) e que ainda por cima se auto-intitulam de originais! Mais: têm a distinta lata de alardear "não à cópia" ou "design original por xyz" ou "todos os direitos"... BAH!
Na última semana descobri uma pessoa que deliberadamente copiou peças minhas e  confirmou-o, dizendo que adorava o resultado do trabalho que fizera baseado (design e cores iguais!!) no meu e que não deixaria de o pôr à venda online. Apenas teria o cuidado de mencionar que o design era da minha autoria e que caso vendesse a peça, repartiria metade do lucro comigo.

Pausa...


Respiro.   E outra vez...


Será que não percebem que não se trata de dinheiro? Que não tem a haver com nenhuma espécie de egoísmozinho besta? É um trabalho! Resulta de anos de pesquisa, de fazer, desfazer e fazer de novo. De pensar, imaginar, procurar a linha ou tecido mais apropriado, de estudar as cores, os pontos... de pôr a nossa identidade, um pedacinho de nós mesmos na peça em questão!

Dizer que é "feito à mão" é fácil, dizer que é "original porque nunca sai um igual ao outro" também é perigosamente fácil... Mas pensar uma coisa de raíz, construí-la e atravessar o "deserto" do processo criativo... levá-lo a cabo e acreditar nele... é outra história.

Tenho que pedir desculpa (ou não) pelo azedume, mas a verdade é que cada vez mais se deita abaixo a imagem do dito "artesanato urbano" quando se fazem feiras de tudo menos artesanato. Podia ser uma coisa boa, esta de reabilitar as técnicas tradicionais, recuperar materiais ... mas cada vez me parece mais uma miragem.
Aquilo que me agrada numa feira é poder falar pessoalmente com as pessoas sobre o meu trabalho, o processo, as escolhas. Parece-me honesto, parece-me bem vender o "meu peixe". Mas francamente, tenho dificuldade em lutar por um mínimo respeito. Custa-me perceber que muitas pessoas vão para estas feiras como se fossem ao mercado comprar um punhado de meias pelo qual regateiam até lhes faltar a voz. Mas com este tipo de oferta, essas mentalidades não vão mudar. Enquanto os artesãos se apresentarem como coitadinhos, ou seguirem só o caminho fácil... parece-me que não vejo boas perspectivas. :(

11 comentários:

  1. é tão verdade... e o artesanato urbano hoje faz-se a granel, como se fosse produção fabril... eu gosto de peças únicas, originais... mas há tanta gente que quando vê uma peça diz "eu quero uma igual"... nós bem tentamos dizer que "não faço nunca igual mas posso fazer do mesmo género, nos mesmos tons" mas acabamos por sacrificar um bocadinho...

    coisa complicada esta do artesanato urbano sem regras... compram gato por lebre e começam a achar que o gato é que é o verdadeiro...

    ResponderEliminar
  2. É tão verdade o que tu dizes... E cada vez se vê mais!...

    Mas confesso que já me aconteceu o contrário... Do tipo andar a fazer pesquisas pela net e descobrir um video de tricot com missangas... E resolvi experimentar fazer em crochet... Fiz um colar em crochet circular com as missangas. Estava feliz do meu trabalho, da minha pesquisa e da minha experiência... Pensava eu ter feito algo nunca antes vista... Passado uns meses descobri no Flickr alguém que os fazia já há bastante tempo. Foi como se tivesse levado uma bofetada... Senti-me uma cópia do trabalho apesar de não o conhecer nada igual quando fiz o meu... Nunca mais fiz algo do género apesar de ter vontade de o fazer...

    Beijinhos ;P

    ResponderEliminar
  3. Obrigada por comentarem,

    @M: A frase "o cliente tem sempre razão" faz sentido em muitas ocasiões, mas também nos leva por vezes a abdicar da nossa integridade. Temos que saber dizer "não" àquilo que descaracteriza o nosso trabalho. :)

    @Libelinha: Uma coisa é utilizarmos uma técnica, um acessório de retrosaria, um tecido, isso é algo acessível e livre a todos. O que falo é muito mais grave, é a utilização da mesma técnica no mesmo formato, cores, medidas, figura. Já para não falar nas cópias de texto integrais a descrever as peças.
    Se alguém aparece com colares e pulseiras das mesmas cores, com os mesmos acessórios (missangas, lantejoulas) na mesma técnica (crochet livre, mas com os mesmos pontos) e nas mesmas combinações de cores... então não há desculpa, não achas?
    Eu também aprendo muito com tutoriais na net, não há problema nenhum, é por isso que se chamam "tutoriais". Acho mal é as pessoas não os utilizarem apenas como ponto de partida. Normalmente seguem-nos à risca e depois dizem que o trabalho é seu, só porque o fizeram com as suas mãos. :)

    ResponderEliminar
  4. Estou contigo Sara, luta pelos teus direitos!!!

    ResponderEliminar
  5. Nunca fui a feiras até agora por essas mesmas questões...
    Algumas feiras que já visitei desiludiram-me bastante (essa ainda não visitei).
    Os produtores (pois nem todos se podem considerar artesãos) são os primeiros a desvalorizar os trabalhos. Fazem 300 peças iguais, às vezes sem qualidade, vendem ao desbarato...
    Em muitos casos não se vê isso que falas. O amor por uma arte, o trabalho persistente... E as associações de artesãos também não defendem a classe, muitas vezes não separam o trigo do joio.
    Quanto ao plágio as pessoas não estão minimamente educadas em relação à propriedade intelectual. Também já fui plagiada... E basta ver a profusão de bonecada contrafeita: Noddys, Rucas,Hello Kittys,etc.

    ResponderEliminar
  6. infelizmente tens toda a razão Sara...
    Eu costumo comparar o fenómeno da moda do artesanato ao slow e fast food...e o problema é que agora se faz muita fast food! É a saga do consumismo, que faz com que as pessoas façam o mais fácil independentemente da qualidade do produto final. E há compradores para este tipo de produtos, pois são bastante mais baratos que os de qualidade...

    ResponderEliminar
  7. Profissionalizar, respirar, acreditar, continuar e trabalhar mais que os outros.

    ResponderEliminar
  8. Minha querida amiga, como subscrevo as tuas palavras! Adorei este post, é mesmo isso *

    ResponderEliminar
  9. Ai Sara se tivesse lido este teu post mais cedo não teria ido praguejar para o meu blog... fazia só o link. ;)

    Essa pessoínha que te roubou (sim o termo é roubar)... P#T@ QUE A PARIU!!!!!!!
    ufa

    muitos beijos e força!

    ResponderEliminar
  10. Pois é Sara, tens toda a razão. Eu o pouco que faço é para casa, para as minhas netas, filhas,nora, irmã sobrinha e para mim. Fiz há umas semanas atrás, uns sacos de retalhos a pedido da minha nora para umas colegas dela. Sempre tive o cuidado de dizer que não faço sacos iguais, podem ser nos mesmos tons com tecidos iguais mas depois misturados com outros e, com os retalhos dispostos de outra maneira , enfim ficam completamente diferentes. Eu recuso-me a trabalhar em série, se querem isso vão aos chineses onde existem sacos às centenas todos iguais. Recusei encomendas por este motivo, e não faço mais nada para vender nestes termos. Faço como a minha inspiração na hora mandar, se quiserem comprar assim tudo bem, de contrário não alinho.
    Quanto às Feiras é uma pena que se veja o que por lá aparece, tenho ido a algumas como visitante e vi coisas que são um horror, outras lindas e originais que até dá pena estarem por ali misturadas com tanta falta de imaginação e muita falta de perfeição também, sim, porque há por aí trabalhos tão maus tão maus...
    Não desistas Sara, tens um trabalho maravilhoso em imaginação e com uma perfeição como tenho visto poucos, sabes tão bem jogar com as cores, trabalhos assim só podem ser feitos com amor.
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
  11. Sara, venho aqui dizer-te que te vou "roubar" este teu texto!... Vou literalmente fazer copy/paste... Estou a passar por uma situação semelhante de tal maneira que ando mesmo revoltada e as tuas palavras dizem tudo!...
    Claro que vou por os devidos créditos bem como o link!...

    Vou coloca-lo no meu blogue pessoal, aqui

    Beijinhos ;P

    ResponderEliminar