Pesquisar neste blogue

botões de seguimento

botão - loja

O Natal é quando se quer (?)




































Outra vez Natal. Mais uma época de azáfama, de compras, de consumo, de corrida ao melhor presente, de criar expectativas, de tentar corresponder às mesmas... Filas de gente, de sacos, de embrulhos e carros, muitos carros... tudo caótico, louco e cego à procura "de qualquer lembrancinha"... - "é que estamos em crise..." ou " este ano é só para as crianças" ... Dizia a Zélia no outro dia num post no fb: "então e a criança que há em nós?"

Pois, de facto é essa a pergunta, que é como quem diz: e o sonho que há em nós? E porque é que o presentear tem que implicar comprar efectivamente algo?

A minha família, tal como muitas, senão a maioria, nem sempre é pacífica, tem laços mais fortes e unidos, mas outros que se des-dão, que escorregam como uma fita de seda sintética, demasiado nova e polida é até engraçadinha, mas que nada agarra, nada prende. À medida que crescemos, criamos um quadro de retratos da família, inevitavelmente rotulamos as pessoas ou pelo menos, construímos imagens. Mas se há coisa que me tem feito "crescer" mesmo, tem sido o desmoronamento dessas imagens. Se antes via azul, agora é amarelo: nem pior nem melhor, apenas diferente, muito diferente! E se depois de um ano de agruras e tristezas há alguém que no lugar de prendas caras nos oferece um poema... neste caso não a mim, mas à minha M... isso é Natal!  Um poema lindo, num lindo postal alusivo à época, em que só a frente se livrou da tinta das palavras, já que todo o resto (interior e verso) foi completamente escrito. Frases da alma escorridas, dessas que humanamente nos tocam e arrancam o coração pela boca, deixando-nos as pernas bambas e os olhos rasos de lágrimas. Que lindo!
Tal como disse, o poema não era para mim, mas fez feliz quem há muito não sorri e essa é a melhor prenda que me podiam dar.

O tempo é curto, muito curto para o perder a comprar bugigangas ou a arranjar desculpas de "crises" para não nos esforçarmos por dar algo de especial a alguém. Dizerem-me que não me dão uma prenda "porque está difícil, porque não há dinheiro"... batatas!

Cantem uma canção, se não o souberem fazer, ponham um disco a tocar e dancem! Façam um bolo e ofereçam-no àquela pessoa, ou que tal convida-la para um passeio a pé? Trata-se de fazer algo especial para alguém especial.

E para aqueles a quem o Natal lembra os que já foram, bom... resta-nos celebrar os outros natais, aqueles que com eles passámos, mesmo quando não era Natal. Porque há prendas que não morrem.

Estes são alguns dos presentes de natal que vou oferecer aos meus. Fiz quase todos, e todos foram escolhidos lenta e pacientemente.

Feliz Natal!  


7 comentários:

  1. Concordo plenamente com as tuas palavras! Um feliz Natal para ti!

    Bjs

    Mónica

    PS- As peças parecem lindas e feitas com tanto amor vaõ sem dúvida ser muito apreciadas.

    ResponderEliminar
  2. Este post podia ter sido escrito por mim :)
    Feliz Natal, Sara!! E que sorrias cada vez mais!

    ResponderEliminar
  3. Adorei Sara! Disseste tudo o que tenho sentido ultimamente, escrevi algo parecido mas ainda assim acho que me contive muito! O Natal é muito mais do que darmos "qualquer coisinha" e o que importa é o carinho que pomos naquilo que compramos, ou fazemos, ou partilhamos! As minhas prendas deste ano também foram todas feitas por mim, ou por outras pessoas.

    Feliz Natal para ti e para a tua família!
    Bj

    ResponderEliminar
  4. Este post foi uma excelente prenda de Natal!!!
    Obrigada:
    :)
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Obrigada a todas por comentarem! (isso também é Natal!)
    :)

    ResponderEliminar
  6. O meu comentário não será propriamente de Natal mas sim de Ano Novo devido ao seu atraso. Mas a mensagem que o teu texto transmite pode ser bem apropriado ao ano que estamos a começar, dar valor ao que realmente o tem, ocupar o nosso precioso tempo com o que vale a pena e com quem vale a pena também, enfim tudo o que disseste foi lindo e realmente verdadeiro, é disto que todos precisamos, obrigada Sara pela tua sensibilidade e nobreza de sentimentos.Beijocas

    ResponderEliminar